quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Estranho Poema...


Eu sou estranho...

Eu sinto falta de
lugares que nunca conheci
experiências que não vivi
momentos que já esqueci
Eu sou estranho...
Eu guardo
sonhos interrompidos
e pequenos detalhes
que aos outros passam desapercebidos
Eu sou estranho...
Eu me arrependo
de coisas que eu não mudei
flores que não admirei
ondas que não surfei

Eu sou estranho...
Estranho
como a brisa gelada desta manhã
que mesmo em plena primavera
resiste e sopra...

Estranho
como esta brisa que carrega
a lembrança de um outono inesquecível.

Luciano Martini