sábado, 7 de agosto de 2010

Noites Antigas


Pelas gárgulas das catedrais
escoam-se noites antigas
que homens pacientemente sábios
recolhem letra a letra.
Eu quis apagar a chama
e acabei apagando a vida
Fiquei através dos instantes que passaram sem mim

Haverá quem diga, perdeu-se
Alguém sairá a minha procura
e não encontrará o caminho.

A espera junto do fogo
estarei eu, cego pelo frio,
farei paradas breves,
sacudirei o guarda-chuva e começarei de novo...



Luciano Martini

2 comentários:

Anônimo disse...

Good post and this enter helped me alot in my college assignement. Thank you seeking your information.

Familia Castilhos disse...

Lindo, reflete o paradóxo de nossas vidas...prosseguir, sacudir a poeira ou as gotas do guarda-chuvas e ir em frente...parar? não, não está no escripte de nossas vidas...bom dia mano!!
Adriana Castilhos