sábado, 16 de fevereiro de 2008

A única necessidade de Deus.

O amor, aprendemos com Deus na história bíblica, é uma aposta contra si mesmo, porque o amor faz o outro livre – único amor que sacia a alma amante. O outro torna-se, no amor criativo, um outro imprevisível.
Insisto, ao criar a humanidade, apenas por amor, Deus criou uma necessidade. A sua única necessidade. Espantoso: Deus precisa do homem!? Não como fundamento, Deus não se faz menos nem mais Deus a partir de mim, ou seja, para ser Deus sou absolutamente dispensável. Para agir como Deus, sou completamente desnecessário. Mas para que o seu ato criativo seja feliz, Deus aceitou fazer-me necessário.
Não foi na encarnação que Deus mais se humilhou por amor. Mera continuidade. Aconteceu na criação humana o mais desgastante gesto divino de amar. Humilhou-se ao risco de criar um ser tão amado e livre que se tornou sua única necessidade. “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu único Filho, para que todo aquele que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.” (Jo 3.16)
Elienai Cabral Júnior

Um comentário:

Milena Froes disse...

Hoje, após visitar tantos sites na internet, em busca de algumas palavras/respostas para o meu coração, sobre aquilo que considero minha maior necessidade: Deus! Encontrei seu blog e a mensagem intitulada "A única necessidade de Deus". Nunca li algo tão humano e tão divino ao mesmo tempo; fiquei tão emocionada com suas palavras que até chorei... não sou dessas mulheres emotivas, ao contrário, sou muito alegre... e pra me fazer chorar só mesmo as coisas relacionadas a Deus!!! Não sei se todo o conteúdo que postou é de sua autoria, mas essas palavras mereciam estar "tatuadas" dentro de cada ser humano desta terra. Até copiei o arquivo para uma pasta pessoal que tenho aqui no trabalho pra poder ler sempre.
Obrigada mesmo... vc salvou o meu dia!
Um forte abraço, Milena.