quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Quero saber


Quero saber se você vem comigo
a não andar e não falar,
quero saber se ao fim alcançaremos
a incomunicação; por fim
ir com alguém a ver o ar puro,
a luz listrada do mar de cada dia
ou um objeto terrestre
e não ter nada que trocar
por fim, não introduzir mercadorias
como o faziam os colonizadores
trocando baralhinhos por silêncio.
Pago eu aqui por teu silêncio.
De acordo, eu te dou o meu
com uma condição:
não nos compreender

Pablo Neruda

3 comentários:

Almerinda disse...

Bom dia, Luciano!

Estou em silêncio...

Abraços, poeta!

Canteiro Pessoal disse...

Luciano. Faz tempo que não pouso por aqui. Bem. Que escrito belo de Pablo Neruda. "O principal é nós fazermos do principal o principal". Sermos silêncio para ouvirmos a voz do que é possuidor de um olhar aquecido.

Abraços e paz

Priscila Cáliga

Alex Malta Raposo disse...

Maravilhoso.

Simplesmente Pablo Neruda.

Forte abraço.

alexmaltta.blogspot.com