domingo, 23 de janeiro de 2011

Destino


Voraz consumidor de auroras, sei que dentro de mim subsiste um oceano arredio de águas profundas e escuras. No entanto, meu destino já estava determinado, quando decidi transpor aquele portal: afogar-me por entre suas ondas...
Nessa epopéia de vida, só Deus pode servir de tábua a um náufrago como eu.



Luciano Martini

4 comentários:

Ira Buscacio disse...

Luciano,
Muitas vezes, nem Deus nos salva desses afogamentos. Mar das Paixões!
Bj e bom fim de domingo

karla morgana disse...

Ainda bem...Ele é sempre nosso socorro mais pertinho!

Canteiro Pessoal disse...

Luciano.

A raiz da raiz de metamorfose à entrada, com o botão do botão, cheiro de maresia aumentável aos fios da coragem secreta. O mar por dentro pelo céu do céu, estrelas parte da liberdade nas areias; a alma mistério vivo sabidas nas horas matutinas. O que despido devagar pela linha do horizonte, faz sabor vivência de experimentações inteiras sem rugir do silêncio empunhado. Das partes no trilho do cume, que conhecido a garganta se afoga, mergulha-se de novo, e há face nobre em notas intensas e jamais esquecidas.

Abraços

Priscila Cáliga

Tatiana disse...

Nossa fé é o mais rico alimento para a alma...
Tenha uma ótima semana!
Um beijo carinhoso